Publicado por: Alba Bloechliger | 18/09/2009

Qual Lei Deveríamos Submeter-nos Hoje em Dia?

Algumas pessoas perguntam: “Se os Dez Mandamentos foram removidos, isso não tornaria correto roubar, mentir, assassinar, etc.?” Então, considere o que a Bíblia diz sobre a lei que hoje devemos seguir.

Hoje devemos obedecer aos Mandamentos do Novo Testamento.

  • Jesus não somente removeu o Velho Testamento, ele substituiu pelo Novo Testamento.

A razão pela qual a velha aliança não é necessária agora é que uma lei diferente tomou o seu lugar.

Hebreus 10:9,10 – Jesus removeu o primeiro testamento para que ele pudesse estabelecer o segundo (veja Hebreus 8:6-9; 7:22; 2 Coríntios 3:6).

Romanos 7:4 – Fomos libertados da lei para que pudéssemos nos unir a Cristo.Gálatas 3:24-27 – Não estamos debaixo do aio (a velha lei), porque a fé do evangelho chegou.

 

Uma ilustração: Brasil esteve, antigamente, sujeito às Ordenações do Reino de Portugal; depois da Independência, estivemos sob a Constituição do Império, e agora estamos sob a Constituição Republicana. Do mesmo modo, Deus providenciou para o homem, primeiro o regulamento patriarcal, depois as leis do Sinai e, agora, o Evangelho, ou Novo Testamento. Não estamos mais sujeitos nem às leis do Império, nem às do Velho Testamento.

  • Esta mudança ocorreu como resultado da morte de Jesus.

    Colossenses 2:14 – Ele cancelou as primeiras ordenanças, encravando-as em sua cruz.

    Efésios 2:13-16 – Ele aboliu a velha lei através do seu sangue, derramado na cruz (v. 13,16).

    Hebreus 9:16,17 – Como no caso de qualquer testamento, Jesus tinha que morrer para que seu testamento tivesse força. A velha lei esteve em vigor até que Jesus morresse, então ela foi substituída pela Nova Aliança (veja Gálatas 3:13; Romanos 7:4).

    • Este Novo Testamento também contém mandamentos e leis que temos de obedecer.Mateus 28:18-20 – Jesus possui toda a autoridade, então devemos obedecer a todos os seus mandamentos.

     

    1 Coríntios 14:3 – 7 – Os mandamentos escritos no Novo Testamento são os mandamentos do Senhor.

    1 Coríntios 9:20,21 – Paulo não estava debaixo da lei dos judeus, mas sob a lei de Cristo.

    Tiago 1:18,25O evangelho é a lei perfeita da liberdade, pela qual seremos julgados (João 12:48; 1 Pedro 1:22-25; Romanos 6:17,18; Atos 3:20-23; Isaías 2:1-4).

    Deus não removeu a velha lei para que pudéssemos ficar sem lei, mas para que pudéssemos servi-lo nas condições do Novo Testamento. Há mandamentos para obedecermos, mas estes são os mandamentos do Novo Testamento e não aqueles do Velho Testamento.

    • O Novo Testamento jamais será substituído por qualquer outra lei na terra.

      Aprendemos que, durante todo o tempo em que o Velho Testamento esteve em vigor, Deus tinha planos para substituí-lo, finalmente. Será o Novo Testamento, do mesmo modo, substituído por outro sistema de mandamentos para os homens, na terra?

      2 Coríntios 3:6-11 – A primeira aliança desapareceu para que pudesse ser trocada por aquela que permanece (não desvanece).

      Hebreus 12:27,28 (veja v. 18-29) – A lei dada no Sinai foi abalada (removida) para que ela pudesse ser substituída por outra (o Novo Testamento) que jamais será abalada, mas permanecerá.

      A razão pela qual o Velho Testamento teve que ser substituído foi que ele tinha sacrifícios que não podiam retirar a culpa permanentemente. Estes sacrifícios foram oferecidos por sacerdotes que, eles próprios, eram pecadores. O Novo Testamento tem o sacrifício de Jesus, que pode tirar todos os pecados, de modo que não sejam mais lembrados. Este sacrifício foi oferecido pelo Sumo Sacerdote, eterno e sem pecado, o próprio Jesus Cristo (Hebreus 10:1-18; 7:11-28; 8:6-9; 9:11-28; Romanos 1:16; Marcos 16:15,16).

      Judas 3 – A fé do evangelho foi entregue aos santos uma vez por todas. “Uma vez” é a mesma palavra usada para a morte de Jesus, em contraste com o sacrifício de animais (Hebreus 10:10-14; 7:27; 9:12,25-28).

      Os animais tinham de ser oferecidos repetidamente, porque eles não tiravam a culpa permanentemente. Jesus ofereceu o sacrifício perfeito, que não precisa ser substituído por qualquer outra coisa. Do mesmo modo, o evangelho é dado aos homens “uma vez”. É a última palavra de Deus ao homem. Ele é tão perfeito que jamais será mudado ou substituído por Deus, enquanto o mundo existir (veja Tiago 1:25; 1 Coríntios 13:8-13).

      Alguns mandamentos do Novo Testamento são semelhantes aos do Velho Testamento, mas outros não são.

      Nove dos Dez Mandamentos, por exemplo, são repetidos no Novo Testamento

      1. Nenhum Deus além de Jeová – 1 Coríntios 8:4; Atos 14:15

      2. Nenhuma imagem esculpida – Gálatas 5:19-21; Romanos 1:22,23

      3. Não tomar o nome de Deus em vão – Tiago 5:12

      4. Lembrar-se do sábado – Este mandamento é o único dos dez que não é repetido em nenhuma parte do Novo Testamento.

      5. Honrar seus pais – Efésios 6:2,3

      6. Não matar – Romanos 13:8-10

      7. Não cometer adultério – Romanos 13:8-10; 1 Coríntios 6:9,10

      8. Não roubar – Romanos 13:8-10; Efésios 4:28

      9. Não prestar falso testemunho – Apocalipse 21:8; 22:15

      10. Não cobiçar – Romanos 13:8-10; Efésios 5:8.

      Os mandamentos que são repetidos no Novo Testamento obedecemos, não porque estavam no Velho Testamento, mas porque estão no Novo Testamento.

      • Muitas práticas do Novo Testamento diferem das práticas do Velho Testamento. 

     

 

   

 

   

  

VELHO TESTAMENTO

NOVO TESTAMENTO

Sacrifício de animais

Sacrifício de Jesus (Hebreus 10:9-18)

Sumo sacerdote humano 

Sacerdócio de Jesus (Hebreus 9:11-14)

Templo físico 

Templo espiritual (1 Coríntios 3:16)

Circuncisão carnal

Corações circuncidados (Romanos 2:28-29)

Música instrumental

Canto (Efésios 5:19; Colossenses 3:16)

Dízimo (Hebreus 7:5)

Doações livres (1 Coríntios 16:1-2)

Sábado e dias santos

Primeiro dia da semana (Atos 20:7)

Compare Romanos 7:2-6 – Uma mulher não está sujeita à autoridade de dois maridos a um só tempo. Se seu primeiro esposo morrer, seu segundo esposo pode ter gostos diferentes dos de seu primeiro esposo, mas em alguns pontos, ambos poderão ter os mesmos gostos. Entretanto, os hábitos do primeiro esposo, agora, não obrigam mais a esposa. Se ela faz coisas semelhantes às que costumava fazer antes, é porque o segundo esposo está de acordo, e não porque era a vontade do primeiro esposo.

Da mesma maneira, estamos sob a Nova Aliança e não sob a Velha Aliança (incluindo-se os Dez Mandamentos). As leis são um tanto similares e outro tanto diferentes (veja Hebreus 8:9). Mas nenhuma das exigências da Primeira Aliança tem qualquer poder, hoje. Onde as leis forem diferentes, seguimos a Segunda Aliança, e não a primeira. Onde as leis forem similares, obedecemos, não porque a primeira lei assim dizia, mas porque a Nova Aliança assim ordena.

  Nosso dia específico para adoração é o primeiro dia da semana e não o sétimo.

  • Muitos acontecimentos importantes no Novo Testamento ocorreram no primeiro dia da semana.

    • Jesus levantou-se dentre os mortos (Marcos 16:9; Mateus 28:1-6).

    • As primeiras aparições de Jesus para provar que ele havia ressuscitado (João 20:19; Marcos 16:2,9; Mateus 28:1,6-10).

    • No dia em que o Espírito Santo desceu sobre os apóstolos, o evangelho foi pregado como estando em vigor pela primeira vez, as pessoas obedeceram pela primeira vez e a igreja começou; tudo isto estava no Pentecoste, que foi num primeiro dia da semana (Atos 2; Levítico 23:15,16).

    Todos estes acontecimentos importantes ocorreram no primeiro dia da semana. Qual acontecimento importante no Novo Testamento ocorreu no sétimo dia da semana? Nenhum. Não deveria surpreender-nos, portanto, ver um significado especial para o primeiro dia da semana, na igreja do Novo Testamento.

    • No Novo Testamento, os cristãos faziam a coleta e se encontravam para a Ceia do Senhor no primeiro dia da semana.1 Coríntios 16:1-2 – Foi ordenada, a igreja, fazer a coleta no primeiro dia da semana. Qual passagem diz para a igreja fazer coletas no sétimo dia?

     

    Atos 20:7 – A igreja tinha a Ceia do Senhor regularmente, e eles se reuniam para tomá-la. (Atos 2:42; Hebreus 10:25; 1 Coríntios 11:17,18,20). Quando eles se reuniam para tomá-la? No primeiro dia da semana. A passagem diz no “primeiro dia da semana”, e não é possível que isso seja o mesmo que no “sétimo dia da semana”.

    Alguns dizem que “partir o pão” pode se referir a uma refeição comum. Mas é uma expressão comum para a Ceia do Senhor (Mateus 26:26; Marcos 14:22; 1 Coríntios 10:16; 11:23,24; Atos 2:42). Sabemos que Atos 20:7 se refere à Ceia do Senhor porque o trecho mostra, claramente, que esta era uma assembléia de adoração. E Paulo, que pregava nesta ocasião, já havia ensinado que somente a Ceia do Senhor, não as refeições comuns, deveria ser tomada na assembléia de adoração (1 Coríntios 11:17-34).

    O significado do dia é também mostrado pelo fato que Paulo esperou 7 dias para se encontrar com os discípulos no primeiro dia (v. 6,7). Mas ele estava com pressa (v. 16), tanto que ele partiu ao clarear o dia seguinte, mesmo ele estando acordado toda a noite, com a igreja (v. 11).

    Note mais ainda que, se a igreja tivesse se reunido no sétimo dia da semana para partir o pão, Paulo poderia ter poupado todo o seu esforço e partido um dia antes. Se o sétimo dia é o dia especial para a adoração cristã, e o primeiro não tem significado, por que o primeiro dia é mencionado e o sétimo não? E por que Paulo se deu a tanto trabalho para se encontrar com a igreja no primeiro dia?

    O único dia autorizado para a igreja do Novo Testamento tomar a Ceia do Senhor e fazer a coleta é o primeiro dia da semana. Nenhuma passagem em qualquer parte da Bíblia autoriza a igreja a fazer estas coisas no sétimo dia.

    • Alguns afirmam que Jesus e Paulo guardaram o sábado.

      Jesus viveu sob a velha lei (Gálatas 4:4), então, naturalmente, ele guardou o sábado (Lucas 4:16; etc.) Como já aprendemos, a lei não foi removida até ele morrer.

      Ele também foi circuncidado (Lucas 2:21), teve animais oferecidos por ele (Lucas 2:22-24), ensinou a outros a oferecerem animais (Mateus 8:4; Marcos 1:44; Lucas 2:22; veja Levítico 14:1-32), observou os dias festivos (Lucas 2:41; Mateus 26:17), e mostrou grande zelo pelo templo físico (João 2:13-17). Ele ensinou outros a observarem todas as coisas ensinadas por aqueles que se assentavam na cadeira de Moisés (Mateus 23:2,4). Todos nós temos que fazer todas estas coisas, hoje em dia, por que ele as fez?

      Mas não há evidência de que Paulo, ou qualquer outro homem inspirado, observou o sábado como obediência a mandamento divino, depois da morte de Jesus. As passagens usadas para “provar” que ele assim fez são todas referentes a assembléias de judeus não convertidos (Atos 13:14,42 44;

      15:20,21; 16:13; 17:1-3; 18:4). Nenhuma destas se refere a uma assembléia de cristãos reunindo-se para observar o sábado religiosamente. Nenhuma passagem diz aos gentios para guardarem o sábado. Mas Atos 20:7 e 1 Coríntios 16:1,2 se referem a atividades de cristãos no primeiro dia. E as passagens dizem que Paulo entrou nas sinagogas com o propósito de ensinar aos judeus que ali congregavam (Atos 13:5,14,16,42 44; 14:1; 17:1-3; 18:4,5). Os judeus guardavam o sábado, como tinham feito por gerações (Atos 15:20,21) porque eles não acreditavam que nada do Velho Testamento tivesse sido removido. Suas assembléias ofereciam ótimas oportunidades para Paulo ensinar. Mas nenhuma passagem diz que ele compareceu com o propósito de observar o sábado. Já citamos vários versículos de Paulo mostrando que a lei, incluindo-se o sábado, não está em vigor.

      Usar uma oportunidade para ensinar não é o mesmo que observar um dia religioso. Os apóstolos ensinaram outras vezes e em outros lugares também (Atos 5:42; 17:17,22; 19:9; 20:7,31). Deveríamos considerar estes lugares e dias para serem guardados religiosamente, porque eles estiveram lá? Do mesmo modo, se as pessoas que guardam o sábado nos permitirem, iremos alegremente comparecer a suas reuniões do sábado, para ensinar-lhes a verdade, mas não estaríamos fazendo isso para observar o sábado.

      As pessoas que guardam o sábado, às vezes, desprezam a evidência que dá especial significado ao primeiro dia da semana. Mas, quando alguém observa a “prova” do Novo Testamento, oferecida para a guarda do sétimo dia, ele vê, por comparação, quanto mais evidência há para o primeiro dia. Se as pessoas que guardam o sábado tivessem versículos falando do sétimo dia, como Atos 20:7 e 1 Coríntios 16:1,2 e outras passagens que falam do primeiro dia, pode estar certo de que elas as considerariam provas muito convincentes.

      Não dizemos que o primeiro dia da semana é o “sábado cristão”. Um sábado é um dia de descanso e nenhuma passagem do Novo Testamento diz para descansarmos no primeiro dia, ou outro dia em particular. Não há “sábado cristão”. Mas o primeiro dia é um dia especial de adoração, no qual fazemos atos de adoração, que não são autorizados em nenhum outro dia. 

CONCLUSÃO:

A Bíblia ensina que a Lei do Velho Testamento, inteira, foi removida pelo próprio Deus. Nada dela vigora hoje em dia, como lei ou como autorização para qualquer prática religiosa. Isto inclui os Dez Mandamentos e o sábado.

Agora, vivemos sob o Novo Testamento. Cada prática, para a igreja, tem que ser autorizada pelo evangelho. Se nenhuma autorização puder ser encontrada no Novo Testamento para uma prática, então ela deverá ser abandonada, sem considerar se ela era ou não praticada no Velho Testamento.

A Nova Aliança é um sistema melhor, tendo uma melhor esperança, e construída sobre melhores promessas (Hebreus 7:22; 8:6; 9:23; 7:19). Não se embarasse novamente na servidão da Velha Lei.

-por David E. Pratte


Responses

  1. “Compare Romanos 7:2-6 – Uma mulher não está sujeita à autoridade de dois maridos a um só tempo. Se seu primeiro esposo morrer, seu segundo esposo pode ter gostos diferentes dos de seu primeiro esposo, mas em alguns pontos, ambos poderão ter os mesmos gostos. Entretanto, os hábitos do primeiro esposo, agora, não obrigam mais a esposa. Se ela faz coisas semelhantes às que costumava fazer antes, é porque o segundo esposo está de acordo, e não porque era a vontade do primeiro esposo.”

    Resposta: Jesus veio abolir a lei? (Matheus 5:17-19) Jesus é “o outro marido” da esposa que agora está no chamado “Novo testamento”? Achei que Ele e o Pai eram um (João 10:30) e que a verdade (a palavra) era a mesma do outro (ler João 1717-23), do contrário ele não pediria pra examinar as Escrituras (João 5:39) nem tampouco para guardar a lei entre os judeus antes de sua morte (Mt 8:4, 23:2-4).

    “Ele também foi circuncidado (Lucas 2:21), teve animais oferecidos por ele (Lucas 2:22-24), ensinou a outros a oferecerem animais (Mateus 8:4; Marcos 1:44; Lucas 2:22; veja Levítico 14:1-32), observou os dias festivos (Lucas 2:41; Mateus 26:17), e mostrou grande zelo pelo templo físico (João 2:13-17). Ele ensinou outros a observarem todas as coisas ensinadas por aqueles que se assentavam na cadeira de Moisés (Mateus 23:2,4). Todos nós temos que fazer todas estas coisas, hoje em dia, por que ele as fez?”

    Resposta: 1João 2:6: “Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou.” Aproveite e leia os 2 versos anteriores a este e cruze a sua própria ideia acima com eles.

    “As pessoas que guardam o sábado, às vezes, desprezam a evidência que dá especial significado ao primeiro dia da semana. Mas, quando alguém observa a “prova” do Novo Testamento, oferecida para a guarda do sétimo dia, ele vê, por comparação, quanto mais evidência há para o primeiro dia. Se as pessoas que guardam o sábado tivessem versículos falando do sétimo dia, como Atos 20:7 e 1 Coríntios 16:1,2 e outras passagens que falam do primeiro dia, pode estar certo de que elas as considerariam provas muito convincentes.”

    Resposta: Isaías 56:2-5. Se vocês doutrinam em “acontecimentos convincentes” deveriam levar em conta também as já bastante convincentes 90 guardas sabáticas que há no “Novo Testamento”.

    “A Bíblia ensina que a Lei do Velho Testamento, inteira, foi removida pelo próprio Deus. Nada dela vigora hoje em dia, como lei ou como autorização para qualquer prática religiosa. Isto inclui os Dez Mandamentos e o sábado.”

    Resposta: Hebreus 8:10 e também 1João 5:3. Eu sempre achei que “Deus não muda” (Malaquias 3:6) quanto mais os seus testemunhos (ler Salmos 119:152).

    “A Nova Aliança é um sistema melhor, tendo uma melhor esperança, e construída sobre melhores promessas (Hebreus 7:22; 8:6; 9:23; 7:19). Não se embarasse novamente na servidão da Velha Lei.”

    Resposta: a tal “Velha Lei” que você se refere, qual é? A mosaica? Como pode ser “Velha” se no próprio “Novo Testamento” 9 delas reaparecem e vocês dizem ser necessário guardá-las ainda?

    O mais engraçado aqui é o seguinte: os guardadores e defensores do domingo (se é que eles guardam o domingo como escrito em Isaías 58:13,14 e Êxodo 20:8-11 que se refere a forma como deve ser guardado o dia de descanso) defendem que a lei foi abolida (algo conflitante com Mt 5:17-19). Ora, se cremos que a lei foi abolida, ou mais especificamente o sábado pelo simples fato de não ter nenhum mandamento no chamado “Novo Testamento” (diga-se de passagem, naquela época só existia o “Velho”; essa divisão é estritamente didática apenas) , também não devemos estabelecer nenhum outro parâmetro (o qual nem mesmo o próprio Cristo estabeleceu) para guarda do domingo.Vejamos Efésios 2:15: “Na sua carne DESFEZ A INIMIZADE, a saber, a lei dos mandamentos…”. Mudando o dia de guarda não estaríamos “refazendo a inimizade” a qual o próprio Cristo, segundo vocês, desfez? Pensem nisto com carinho.

    Eu também poderia argumentar, assim como se argumenta acerca da ausência de um mandamento sabático, pedir no “Novo Testamento” (ou no “Velho”, como queira) que mostre uma só passagem mostrando a guarda do domingo (que, convenhamos, nem usa-se essa palavra na bíblia, certo?). Pensem também nisto com carinho.

    Se, porém, argumentam ainda que houveram alguns acontecimentos importantes no tal “Novo Testamento” ocorridos no domingo, também devem lembrar que não há mandamento algum para guarda deste, doutrinando, portanto, em coisas encobertas. Desta forma nos remetemos a Deuteronômio 29:29: “As coisas encobertas pertencem ao SENHOR nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos PARA SEMPRE [detalhe forte, aqui], para que cumpramos todas as palavras desta lei [que foi abolida por Cristo no que tange a mosaica, certamente].” Como podem, portanto, doutrinar em coisas não reveladas?

    Ora, nós sabemos que o sábado é uma revelação constante no chamado “Velho Testamento”, mas e o domingo, onde aparece o mandamento para guarda deste? Pensem em não doutrinar em coisas não reveladas (encobertas), lembrando sempre do verso acima descrito, senão possivelmente serei obrigado a não levar muito a sério a logo do blog que diz: “Explicações sobre as Escrituras Sagradas, SEM INFLUÊNCIAS RELIGIOSAS.”

    Comecei lendo o blog e achei interessante. Até que achei esse artigo…


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: